Site Map

Please note:

You are viewing archival ICANN material. Links and information may be outdated or incorrect. Visit ICANN's main website for current information.

العربية 中文 English Français Español Русский 日本語 Deutsch Português 한국어 Italiano

Mensagem do CEO

21 julho 2009

Em primeiro lugar, gostaria de dizer que estou emocionado em estar a bordo como CEO e presidente da ICANN. No momento em que entrei nesta empolgante organização, descobri que ela trabalha com uma incrível variedade de atividades que envolve uma gama enorme de clientes.

Sem dúvida, a ICANN é a organização mais complexa com a qual já me deparei, necessariamente, pelo menos em parte, porque temos de navegar por um mar de grupos de interessados, alguns dos quais foram formalizados em nosso estatuto social, e todos os que tenham um interesse em nomes, endereçamentos e parâmetros mundiais de Internet. Para garantir que cada endereço seja único, a ICANN deve assumir o difícil papel de promover a clareza entre essas mesmas partes interessadas. No final, cada nome deve ser único e pertencer a somente uma parte.

Isso não é uma tarefa pequena, com cerca de 200.000 milhões de nomes registrados e para muitos desses nomes há várias partes diferentes que gostariam de possuir ou controlá-los. O que acho impressionante é que, apesar das muitas pressões competitivas nesse ambiente, a ICANN tem sido capaz de cumprir suas funções essenciais nos 11 anos desde a sua criação e surgiu como um grupo forte, impulsionado pelos interessados.

Minha visão é que avançamos para oferecer suporte a uma Internet unificada mundialmente, na qual permanece o endereçamento único para garantir interoperabilidade. Nesse mundo da Internet, um comerciante em Bali pode enviar sem nenhum esforço um e-mail para uma empresária em Tóquio. Qualquer pessoa, em qualquer lugar, será capaz de interagir com qualquer pessoa em qualquer parte do mundo, desde que ambos possam acessar a Internet. A ICANN já está tomando medidas para melhorar essa funcionalidade.

O primeiro passo é apoiar a implementação de nomes de domínio internacionalizados (IDN), para que os empresários na Rússia ou na Índia, como dois exemplos apenas, possam usar seus idiomas e alfabetos nativos para escrever seus nomes de domínio e possam acessar informações escritas e outros conteúdos da mesma forma. Talvez seja apropriado que essa mudança muito significativa na Internet marque seu próximo 40º aniversário. Nesses mesmos quarenta anos atrás, os primeiros passos do homem na lua iluminaram a visão da humanidade em relação ao seu lugar no universo. Da mesma forma, os IDNs garantirão que toda a humanidade possa ter um lugar na Internet em seu alfabeto nativo.

De agora em diante, uma vez que os IDNs forem liberados e tiverem suporte, cada grupo linguístico do mundo que se inscrever e implementar o seu idioma será capaz de ver a sua Internet de formas inimagináveis até agora. Assim, a implantação de IDNs durante o próximo ano será um passo pequeno, mas muito importante para a comunidade da ICANN e, mais amplamente, para a comunidade mundial da Internet.

Outro passo é nosso trabalho contínuo com nossos parceiros para reforçar a segurança da Internet. Foram desenvolvidas pelo nosso parceiro, a Força-Tarefa de Engenharia na Internet, normas para o DNSSEC, uma forma mais segura do Sistema de Nomes de Domínios. Nós até conseguimos operar com êxito o DNSSEC em um ambiente raiz experimental durante dois anos e agora estamos trabalhando estreitamente com nossos parceiros na VeriSign e no Departamento de Comércio dos Estados Unidos, e com especialistas do DNSSEC e operadores do ccTLD de todo o mundo para tornar o DNS ainda mais seguro e os aplicativos de Internet mais resistentes a ataques que exploram nomes de domínio, começando com a raiz do DNS que a ICANN está encarregada de gerenciar.

O DNSSEC é outra linha de defesa contra phishing e pharming e outras invasões mal-intencionadas e ajuda a garantir que ao digitarmos um endereço no navegador sejamos direcionados ao site autêntico desejado e não a um impostor que colete informações de senha. Esse esforço é de natureza altamente técnica, mas acredito que seja essencial para ajudar a melhorar a segurança do Sistema de Nomes de Domínios que hoje vem sendo fortemente ameaçada por maus-caracteres e criminosos. Uma coordenação e cooperação consideráveis são necessárias, mas o serviço de nomes resultante deve proporcionar maior segurança para usuários da Internet em todo o mundo. Dada a minha experiência pessoal em esforços de segurança de computadores internacional, sei que o esforço do DNSSEC é muito importante mesmo.

Historicamente, a Internet prospera sempre que o sistema é aberto para permitir que mais usuários expressem sua criatividade e inovação. Estamos trabalhando agora na abertura de domínios de alto nível, para que não só as nações, mas também outros povos e grupos, possam ter uma identidade exclusiva na Internet.

Por exemplo, o chefe da tribo Zulu, Sua Majestade o Rei Goodwill Zwelithini kaBhekuzulu, enviou recentemente uma carta notificando-nos da sua intenção de registrar o nome de domínio ponto-zulu para que negócios diferentes, mas relacionados, e outros grupos possam ser vinculados ao seu nome de domínio em toda a comunidade Zulu. De acordo com Sua Majestade, “Acreditamos que o TLD .Zulu, tal como concebido e proposto pela Dot Zulu Project Inc., representa os melhores interesses da comunidade Zulu e será capaz de fornecer uma estrutura viável para nós, como uma evolução da comunidade.” A cidade de Nova York e a cidade de Berlim têm manifestado um interesse semelhante em seus próprios nomes de domínio. Nem podemos imaginar as possibilidades que poderão surgir quando esses e uma infinidade de outros TLDs forem abertos.

A responsabilidade da ICANN em apoiar métodos de introdução com segurança de novos TLDs foi especificada na publicação oficial que levou à nossa formação. E nosso memorando original de 1998 de entendimento com o Governo dos Estados Unidos declarou uma das nossas principais responsabilidades da seguinte maneira: “Monitoramento da política para determinar as circunstâncias em que os novos domínios de alto nível seriam acrescentados ao sistema de raiz.” E continua: “As Partes irão projetar, desenvolver e testar os mecanismos, métodos e procedimentos que vão fazer a transição sem interromper o funcionamento da Internet.” Segundo o presidente do Conselho, Peter Dengate Thrush, “Estamos . . . declarando sucesso nesses aspectos. São 11 anos. Desenvolvemos e testamos esses mecanismos e sabemos que eles funcionam.”

As limitações originais em nomes de domínio têm a ver com as capacidades limitadas dos computadores e das redes em décadas passadas. Graças aos avanços atuais em termos de potência, largura de banda e memória, o tempo certamente abriu uma multiplicidade de possibilidades em nomenclatura de Internet.

Tal como acontece com a aceitação de qualquer inovação, existem áreas de preocupação e atrito, e um debate saudável está ocorrendo dentro de vários grupos de interessados na ICANN sobre como lidar com as principais facetas desses novos TLDs com tranquilidade. Alguns dos debates mais interessantes estão centrados em torno da proteção de direitos de propriedade intelectual. Estamos satisfeitos com as soluções concretas que estão sendo desenvolvidas por especialistas na área de propriedade intelectual. Assim como a internacionalização de nomes de domínio, isso ajudará a tornar a Internet um fenômeno tecnológico ainda mais útil nos próximos anos. No mínimo, esperamos ver nomes de domínio ainda mais memoráveis e curtos. Estamos ansiosos para trabalhar com essas e outras questões com a comunidade.

Esse conjunto de projetos ambiciosos e importantes deve me manter mais do que ocupado como novo CEO da ICANN em um futuro próximo. Gosto do desafio e agradeço por esta oportunidade de liderar esta comunidade de comunidades.

© Internet Corporation for Assigned Names and Numbers